Conecte-se com a gente!

Policia

Motorista da Amazon Flex acusado de tentar roubar pacote de cliente

O entregador foi flagrado na camera de segurança no momento da entrega que ele “quase” não efetuou.

Publicado

em

O entregador foi flagrado pela câmera de segurança. No vídeo é possível ver que ele desiste de entregar o item. (CBS)

SACRAMENTO, CA — Conforme os feriados vão se aproximando, também começa a temporada de entrega de pacotes de compras on-line.

O programa da Amazon conhecido como “Flex Drivers” está em ampla aplicação em várias regiões do país. Em Sacramento, na Califórnia, eles estão contratando motoristas para usar o próprio carro para entregar os itens comprados no site da Amazon.

Mas recentemente, um cliente disse que um dos motoristas tentou roubar o pacote que ele deveria entregar.

Os motoristas potenciais do programa de “Flex Drivers” da Amazon passam por uma extensa checagem de antecedentes, mas um motorista disse à CBS que não existe uma entrevista real no processo. Uma vez contratado, Amazon diz que os motoristas ajudam a levar os itens que as pessoas precisam com mais rapidez e agilidade.

“É simplesmente inacreditável”, disse Tony, o cliente que quase foi lesado.

Ele é um daqueles compradores inveterados da Amazon e recebe a entrega dos pacotes com bastante frequência, mas umas noites atrás ele disse que o homem que faz a entrega tentou levar suas compras embora.

“Ele estava simplesmente pegando os pacotes”, disse o cliente.

O homem que mora em Antilope junto com a familia assistiu aos videos do circuito de segurança da casa em sua tv na sala de estar quando o homem chegou. O video mostra o homem andando com o pacote bem próximo da driveway. Então, parece que ele está fazendo uma foto da encomenda – como mandam as regras da Amazon – para confirmar que a entrega foi de fato realizada. Porém, ao invés de colocar o pacote na porta, ele vira e volta em direção ao carro.

Tony flagou toda a situação e informou a Amazon sobre o incidente. (CBS)

A mãe do cliente saiu de casa e chamou a atenção do homem. Ele parou o carro, saiu e entregou a encomenda. O homem, não identificado, pediu desculpas por estar pegando a caixa.

Ele era um dos Amazon Flex Drivers. O programa permite que pessoas comum trabalhem com a entrega de encomendas da Amazon utilizando roupas normais do dia a dia em seus próprios carros.

Qualquer pessoa pode se habilitar para trabalhar na companhia como um flex driver e ganhar entre $18 e $25 por hora. A empresa disse que os candidatos precisam passar por um forte sistema de checagem de antecedentes que pode levar de 24 a 48 horas.

Com a chegada dos feriados, Tony já adiantou que vai prestar mais atenção em quem está entregando as encomendas e espera que a Amazon tome alguma atitude contra o motorista que tentou, supostamente, roubar a sua.

Amazon enviou um comunicado dizendo: “Nós temos regras e padrões elevados para nossos parceiros de entregas e levamos muito à serio o feedback dos consumidores. Nós estamos analisando o incidente e vamos continuar trabalhar diretamente com os consumidores em problemas relacionados à suas entregas”.

A cidade de Sacramento é um dos 20 mercados que possuem o programa “Amazon Flex” de entregas. E existe uma fila gigante de pessoas que querem trabalhar para a empresa.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe um reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias

Briga de roommates acaba em tiros, feridos e polícia!

A discussão começou na noite anterior por conta das despesas da casa.

Publicado

em

Isiah Dennis foi atingido no ombro. (ClickOrlando.com)

ALTAMONTE SPRINGS, FL – Uma pessoa ficou ferida depois que uma discussão entre roommates no sábado (10) de manhã, de acordo com o escritório do xerife do condado de Seminole.

Os oficiais responderam a um chamado na noite de sexta-feira em uma casa no bloco de 100 da Alder Avenue, em Altamonte Springs. Os vizinhos reclamavam do barulho.

Os oficiais disseram que houve uma discussão entre Dennis Mijares Diaz, 29 e Isiah Dennis, 32. Ambos moram na mesma casa, mas nem chegaram a registrar queixa e a situação foi resolvida ali mesmo.

Por volta das 10 horas do dia seguinte, os policiais voltaram ao mesmo endereço para responder a um chamado onde pessoas ouviram barulhos de tiros e registro de pessoas feridas..

“Eu entrei em pânico. Quando vi a espingarda, vi seu dedo no gatilho e eu já estava com medo”, disse Dennis.

Dennis sofreu um ferimento no ombro e que não corre risco de morrer. Ele foi levado para um hospital em condição estável.

“Enquanto passava pelo seu quarto, ele estava de pé lá fora e ele me perguntou se eu tinha um problema, e eu disse: ‘Não'”, disse Dennis.

Os investigadores reportaram que Diaz e Dennis estavam envolvidos em uma discussão por conta das despesas da casa. Aconteceu uma briga verbal do lado de fora da casa, no sábado cedo. E Diaz teria puxado o gatilho da arma que estava segurando.

A esposa de Diaz não gravou entrevista com o Channel 6, mas disse que a vitima trouxe uma arma para casa na noite de sexta. As notícias 6 falaram com a esposa de Diaz, que não queria entrar na câmera, que disse que a vítima trouxe uma arma para a casa na noite de sexta-feira durante a disputa.

Diaz foi foi preso por tentativa de homicídio premeditado em primeiro grau e está agora na John F. Polk Correctional Facility, sem direito a fiança.

 

Continue lendo

Notícias

Brasileiro envolvido com a TelexFree é condenado a 33 meses de prisão

O esquema movimentou mais de 20 milhões de dólares e lesou milhares de pessoas pelo mundo.

Publicado

em

O brasileiro Cleber Rocha que foi condenado no esquema da TelexFree (Reprodução)

BOSTON, MA – Homeland Security Investigations (HSI) Boston e o advogado dos EUA para Massachusetts anunciaram a condenação em tribunal federal quinta-feira (08) de um brasileiro sob acusações de um esquema de pirâmide internacional envolvendo mais de US $ 20 milhões de dólares em lavagem de dinheiro com base na área de Boston.

O agente especial interino da HSI, Michael Shea, juntamente com o advogado dos Estados Unidos, Andrew E. Lelling, cujo escritório processou o caso, anunciou que Cleber Rene Rizerio Rocha, de 28 anos, foi condenado pelo juiz do tribunal distrital dos Estados Unidos, Leo T. Sorokin, a 33 meses em prisão e um ano de lançamento supervisionado. Em outubro de 2017, Rocha se declarou culpado de conspirar num esquema de lavagem de dinheiro conhecida por TelexFree.

“Esta sentença serve como uma advertência real para aqueles que se enganam ao pensar que podem defraudar os americanos e violar flagrantemente as leis financeiras dos EUA sem consequências”, disse Michael Shea, agente especial interino responsável pelas investigações de segurança interna em Boston.

“Esta investigação e a perseguição bem sucedida, realizadas através de um esforço de equipe de um ano, destacam a ênfase contínua da HSI para desmantelar organizações de lavagem de dinheiro em larga escala que utilizam nossas instituições financeiras para defraudar o público americano”, disse o juiz.

Após um mandado de busca executado em abril de 2014 na sede da TelexFree Inc., um enorme esquema de pirâmide com base em Marlborough, que causou bilhões de dólares em perdas para quase dois milhões de vítimas em todo o mundo, Carlos Wanzeler, um dos fundadores da empresa , fugiu primeiro para o Canadá e depois para o Brasil, seu país natal. Na pressa de fugir dos EUA, Wanzeler deixou milhões de dólares escondidos na maior área de Boston.

Em 2015, um intermediário que trabalhou no nome de Wanzeler entrou em contato com um associado para ajudar a transferir o dinheiro dos Estados Unidos para o Brasil. O associado, que mais tarde cooperou com as autoridades federais, arranjou com o representante da Wanzeler no Brasil para lavar dinheiro através de Hong Kong, convertê-lo em reais e depois transferi-lo para contas brasileiras.

Em janeiro de 2017, Rocha, trabalhando como mensageiro para o representante da Wanzeler no Brasil, voou do Brasil para a cidade de Nova York. Rocha mais tarde conheceu a testemunha colaboradora em Hudson, Massachusetts, onde Rocha lhe deu uma mala com 2,2 milhões de dólares do dinheiro escondido da TelexFree da Wanzeler, com a intenção de que a testemunha cooperante ajudasse a lavar o dinheiro dos Estados Unidos.

Rocha foi preso depois de ser seguido em um apartamento em Westborough, que foi mais tarde procurado e resultou na apreensão de aproximadamente US $ 20 milhões em dinheiro encontrado escondido literalmente dentro de um colchão.

O colchão recheado de dinheiro. (Divulgação)

O co-fundador de Wanzeler e TelexFree, James Merrill, foi indiciado em julho de 2014 por acusações de que eles operavam o TelexFree como um esquema de pirâmide maciço.

Merrill se declarou culpado de tais acusações e foi condenado em março de 2017 a seis anos de prisão. Wanzeler continua foragido.

Continue lendo

Notícias

Pastor é acusado de pedofilia na Flórida

David Cooper é acusado de molestar crianças durante anos.

Publicado

em

O pastor David Cooper (Reprodução)

WINTER HAVEN, FL – Uma investigação deixou moradores da Flórida surpresos e incrédulos. Um pastor de Winter Haven foi preso nesta quinta-feira e está enfrentando acusações de abuso sexual em uma vítima com menos de 12 anos. O juiz do Condado de Polk, Grady Judd, diz que pode haver mais vítimas.

David Cooper, pastor dos Mountain Movers Ministries, em Eloise, também é acusado de atentado ao pudor e erotização. Ambas acusações são delitos graves.

Em uma coletiva de imprensa, na manhã de sexta-feira (09), Judd disse que a esposa de Cooper trouxe um filho com menos de 12 anos para um hospital para determinar se a criança havia sido agredida sexualmente. O hospital notificou o escritório do xerife, que iniciou uma investigação. De acordo com a WFLA News Channel 8, a investigação começou em setembro de 2017.

Um exame físico da criança não mostrou evidências de abuso sexual, mas os detetives descobriram que a criança era vítima de uma conduta obscena. Cooper expôs-se à criança em quatro ocasiões no último ano.

Uma investigação mais aprofundada revelou que, há alguns anos, Cooper abusava sexualmente de outra criança entre 10 e 12 anos. A vítima agora adulta disse aos investigadores que o abuso incluiu relações sexuais pelo menos cinco vezes.

Durante a conversa entre a vítima e o pastor Cooper que foi conduzida sob vigilância, ela falou com Cooper sobre o abuso e ele repetidamente disse que estava arrependido.

Até agora, o juiz disse que os investigadores não encontraram nenhuma evidência de que o pastor abusasse de crianças na igreja.

“Precisamos das famílias das pessoas da igreja ou de qualquer família com a qual o pastor David Cooper tenha mantido contato, para estarem ciente do que sabemos até agora”, afirmou o juiz.

Judd também explicou que poderia haver mais vítimas e encorajou outros a apresentarem informações.

“Um dos aspectos estressantes do trabalho na aplicação da lei é ter que se deparar com atos horrendos de um pedófilo. É por causa da dedicação de nossas equipes que investigaram isso, e outros crimes semelhantes, e a vontade das vítimas e testemunhas de se apresentarem, que este homem não poderá mais fazer isso com qualquer outra criança “, ressaltou o juiz Grady Judd.

Continue lendo
Publicidade

CANAL DO PS NO YOUTUBE

TWITTER DO PS

MAIS LIDAS