Conecte-se com a gente!

Dicas

Como ter o seu visto americano fácil! Dicas infalíveis

Dicas muito simples para você chegar na sua entrevista e arrasar no consulado.

Publicado

em

Fila para entrada no consulado americano do Rio de Janeiro (Foto: O Globo)

Um dos grandes medos de quem vai viajar para os Estados Unidos é a entrevista com o agente consular. Essa entrevista é o temor de 10 entre 10 pessoas que passam pelo processo. Porém, depois de conseguir o tão esperado objeto de desejo, todos concordam que existem algumas dicas que são infalíveis.

Eu passei pelo processo. Desde sempre o medo foi o meu pior companheiro. Aos 15 anos, quando a minha turma toda foi para  Disney, eu achava que teria meu visto negado durante a entrevista no consulado americano em São Paulo. Passou o tempo, depois de tomada a decisão e de estar com o passaporte em mãos, fiz tudo rapidamente.

O passo-a-passo é simples:

  1. Você tem que preencher um formulário extenso no site do consulado. É o famoso DS-160. Ele é a base da sua entrevista. Lá estarão todas as informações sobre você e os motivos pelos quais você quer entrar nos Estados Unidos. Preenche com calma.
  2. Seja verdadeiro no preenchimento. Por mais que você esteja aumentando o seu rendimento, tente manter-se o mais fiel possível ao que você possui. Nem sempre uma renda muito alta é responsável pela aprovação de um visto. O agente consular vai levar em consideração uma série de fatores durante a entrevista que vão muito além do seu rendimento.
  3. Coloque todos os vínculos possíveis: casa própria, faculdade, emprego permanente, família. Tudo conta como vínculos com o Brasil.
  4. Seja sincero e informe o que você quer fazer por aqui. A dica é: venha visitar o Mickey e seja feliz na terra de Walt Disney. O agente consular vai querer saber se você quer mesmo ir gastar ou ganhar dinheiro nos Estados Unidos. A primeira é a alternativa correta. A segunda, só se você for um investidor, o que te enquadra num outro tipo de visto.
  5. Se está vindo estudar então, estude! Procure se adequar ao que pede o seu visto. Não caia na pegadinha que ele pode te lançar questionando a possibilidade de você ganhar um dinheiro extra nos Estados Unidos se você não está aplicando para um visto com Work Permit (permissão para trabalhar).
  6. Depois de preenchido você vai pagar uma taxa de U$160. Se você fizer o pagamento pelo seu cartão de crédito, automaticamente o sistema abrirá as datas para o agendamento da entrevista no consulado e a passagem de “credenciamento” pelo CASV.
  7. O CASV é o Centro de Atendimento ao Solicitante de Visto, lá o procedimento é muito rápido. Normalmente tudo se resolve em menos de cinco minutos. Para essa primeira parte do processo você precisa levar o seu passaporte e o comprovante de quitação da taxa da DS-160. Muita gente marca a CASV no mesmo dia da entrevista. Isso fica a seu critério. Vale lembrar que a CASV, diferente do consulado, também atende aos finais de semana, quando as filas são ínfimas.
CASV - Rio de Janeiro: Centro de Atendimento ao Solicitante de Visto (Foto: O Globo)

CASV – Rio de Janeiro: Centro de Atendimento ao Solicitante de Visto (Foto: O Globo)

Depois da fase do CASV, você está “credenciado” para a temida entrevista no Consulado Americano. No Brasil existem consulados no Rio de Janeiro, em São Paulo, Recife e Brasília. Foi anunciado há pouco tempo que Porto Alegre vai receber um consulado americano em 2017.

A mais importante de todas as dicas: MANTENHA A CALMA. Respire fundo. Mantenha a calma mesmo. A gente ouve um milhão de histórias sobre os momentos que antecedem a entrevista nas temidas cabines consulares, porém, tente abstrair. Leia um livro. Na área de espera do consulado no Rio de Janeiro – e imagino que isso se repete nos outros – existe um display com revistas. Pegue uma e vá se ocupar. O uso do celular não é permitido, aliás, você não vai nem conseguir entrar no consulado com ele. Portanto, “cabeça vazia é playground do demônio”, já dizia a minha avó. Vá se ocupar. Respire fundo.

  1. Chegue com 15 minutos de antecedência. Não é necessário mais que isso.
  2. Ao chegar ao consulado, você pode deixar lá fora o seu celular e bolsa. Existem guarda-volumes que cobram por volume que estiver com você, mas guardam os seus pertences com responsabilidade. Se você não confia, vá sem celular e sem seu Apple Watch ou outro Smartwatch no seu pulso.
  3. Entrando no consulado, você passa por uma primeira revista e segue em direção à identificação. Ali, um funcionário do consulado americano vai solicitar que você coloque o seu passaporte aberto na página em que está a foto, colado no vidro. Depois, ele deve solicitar que você coloque seus quatro dedinhos numa leitora.
  4. Feita a identificação agora você para uma área de espera. São bancos enormes que parecem de igreja onde as pessoas vão se acomodando em ordem de chegada. Essas filas ficam completamente lotadas e elas vão sendo chamadas para seguirem para uma segunda fila. Essa é a fila que fica em frente aos guichês onde ocorrem as entrevistas.
  5. É nessa hora que a cabeça da gente começa a trabalhar. Quando você está nessa fila em forma de serpentina, você consegue ver e acompanhar o atendimento dos agentes consulares. No Rio de Janeiro, eram oito cabines disponíveis. Era possível perceber quem estava saindo feliz e os que estavam saindo chateados. Você na hora começa a se ligar e deseja aquela cabine com a mulher simpática que está aprovando todo mundo. Mas, de acordo com a Lei de Murphy, você vai cair justamente na cabine que você não quer.
  6. Não se desespere. É agora que você tem que manter a calma. Tente se lembrar o motivo da sua viagem: o turismo e os gastos no país que você está querendo entrar. Tente respirar fundo. Não demonstre nenhum tipo de desconforto. Lembre-se: você está sendo vigiado desde o momento em que você entrou no consulado.
  7. Seja cordial com o agente consular. Bom dia, boa tarde são primordiais para se começar uma conversa. Porém, não é necessário se alongar e perguntar sobre a mãe do sujeito. (Brincadeira!).
  8. Seja objetivo nas suas respostas. Não aumente as respostas. Se perguntarem para onde vai, diga a cidade – ou as cidades. Não se esquecendo que ele já sabe, só quer a sua confirmação do que está escrito no seu DS-160. Ele pode jogar com você e te fazer cair num erro muito comum: o cansaço. Como pode tudo se resolver rapidamente.
  9. Fique preparado com seus documentos na pastinha. Mas não é necessário oferecê-los. Caso o agente consular queira verificar alguma informação, ele vai solicitar. Atenda-o prontamente.
  10. Se o teu inglês é bom, use-o. Na maioria das vezes, o agente consular pode te perguntar se você fala inglês. Não se acanhe diante das duas situações: diga que sabe, já respondendo em inglês, ou diga que não fala. Isso não é constrangimento algum. Bobagem dizer que falar inglês vai chamar a atenção do cônsul para algo mais suspeito. Fale inglês se você achar conveniente.
  11. Se o seu visto for aprovado, o cônsul não vai entregar o seu passaporte. Ele ficará disponível para você em dois dias úteis na CASV, o local onde você foi primeiramente para tirar a foto e também para registrar suas impressões digitais. Se você escolheu a entrega no seu endereço, pode demorar um pouco mais para chegar pelo Correio.
  12. Caso seu visto não seja aprovado, reveja sua DS-160 e tente novamente a seu tempo. Não existe um prazo para que as pessoas façam uma nova solicitação de visto americano. Porém, cada tentativa vai lhe custar os U$160 e também muita paciência.

É isso! Depois de ter o visto aprovado é só partir para o abraço. É hora de emitir as passagens, começar a contagem regressiva para a sua saída rumo aos Estados Unidos.

 

Continue lendo
1 Comentário

1 Comentário

  1. Aline Martins

    16 de outubro de 2016 em 08:38

    Olá, Paulo. Agendei o CASV e a entrevista consular para amanhã aqui no Rio de Janeiro. Somente agora li no site do consulado e em vários blogs que o CASV precisa ser agendado pelo menos 1 dia antes da entrevista. Só encontrei o seu texto dizendo que muitos agendam para o mesmo dia. Pergunto: Você conhece pessoas que fizeram no mesmo dia e deu certo? Agora deu um tremendo medo de dar algo errado, pois tenho pressa em obter o visto. E o sistema não permite mais eu reagendar :-/ Sei que agora o que eu tenho é esperar e torcer pra dar certo. Mas saber que alguém já fez no mesmo dia irá me aliviar um pouco. Obrigada!

Deixe um reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dicas

Dicas infalíveis para a hora da entrevista no consulado americano

Uma das dicas infalíveis é manter a calma e não falar demais: seja direto!!

Publicado

em

(Reprodução/Internet)

ORLANDO, FL – Um dos momentos considerados mais complicado e tenso é a entrevista no consulado para obtenção do visto americano. Nove entre dez solicitantes tem muito medo do que pode acontecer quando estiver frente a frente com o agente consular ou um cônsul mesmo.

Não existe uma receita de bolo para ter o visto aprovado. Isso é mito. Mas existem situações que podem te ajudar na hora da entrevista.

Elaboramos um video com todas essas informações, mas se você não está podendo assistir agora, vamos passar neste texto tudo o que possa te ajudar na hora da tão temida entrevista consular.

  1. FALE SEMPRE A VERDADE!!
    Depois de preencher um DS-160 magistral, com todas as informações, você precisa saber exatamente o que está lá. Sabendo que o melhor caminho é o da verdade, não vai haver problemas se ele perguntar qualquer coisa que esteja no formulário. Então, nunca minta.
  2. FOQUE, PENSE POSITIVO
    Ao chegar no consulado não fique prestando atenção nas pessoas que estão lá como você, solicitando o visto. Muitas vezes você vai ver o que pode te desmotivar e mexer com o seu emocional. Portanto, mantenha o foco. Pensamento positivo. Pense coisas boas. Visualize você no seu destino de viagem, junto com o Mickey, por exemplo, e esqueça o que está acontecendo. Muitas pessoas vão passar por você com o visto negado e outras tantas com o visto aprovado. Porém, a gente tem um lado que nos faz ver apenas o que é ruim. Então, esqueça isso.
  3. SEJA DIRETO
    Não aumente o que não precisa ser aumentado. Seja muito direto, curto e grosso! O agente consular não está ali para ser o seu amigo ou fazer um bate papo com você. Quer conversar, vai no Bial!!! Se a pergunta é “para onde você vai?”, a resposta é curta: “Orlando”, por exemplo. Seguindo sempre o que você colocou no seu DS. Não fale demais. Fazer isso é dar bala para bandido, aumentar as chances para que ele pegue você num deslize.
    – Vai para onde?
    – Orlando
    – Fazer o que?
    – Turismo
    – Onde você trabalha?
    – Sou mecânico.
    – Fale mais sobre isso…
    – Faço manutenção de carros
    – Quanto você ganha?
    – $60 mil reais, anualmente*
  4. MANTENHA UMA POSTURA CORRETA
    Fique relaxado mas não demais na frente do agente consular. Mantenha uma postura ereta, tente não mostrar que está tenso. Mantenha um sorriso de alegria nos olhos e pense em coisas positivas no momento da entrevista para fazer os seus olhos brilharem. Os agentes são treinados para fazer uma leitura corporal sua. Qualquer tensão diferente da esperada, eles vão insistir até você soltar algo que possa fazê-los acreditar que está mentindo.
  5. EM CASO DE NEGATIVA
    Não brigue, não discuta e não bata boca. Isso tudo fica registrado mesmo depois do final da entrevista. Mantenha a calma. Agradeça mesmo assim. Você pode questionar sobre o motivo bem sutilmente, eles tem o direito de não responder. Por outro lado, você pode ser simpático e perguntar: “Por gentileza, quando eu posso aplicar novamente?” Lembre-se: “Gentileza gera gentileza”. Já ouvi casos de pessoas tiveram inicialmente o visto negado e por um movimento de gentileza ao final da entrevista, o agente consular voltar atrás e aprovar a solicitação. É regra? Não. Mas ajuda.

Continue lendo

Dicas

O transporte coletivo em Orlando funciona! Escolha seu ônibus

Dicas para pegar ônibus, traçar rotas e economizar uma grana no transporte pela cidade de Orlando.

Publicado

em

Ônibus da Lynx

Ônibus da Lynx

Gente… mais uma dica útil pra quem está em Orlando e depende de transporte público. Ao contrário do que dizem, o transporte público de Orlando, dentro do horário de circulação dele, funciona sim!!

E funciona como um reloginho. Se vc souber usar os pontos corretos, não vai esperar muito nos pontos de ônibus. Aliás, os atrasos são de poucos minutos em relação ao tempo “previsto” para chegada do ônibus em determinado ponto. Detalhe: o ônibus tem um ar condicionado potente. Já passei muito frio dentro deles. O sistema de parada é similar ao do Brasil: basta puxar a cordinha.

Paulo, mas como eu sei que horário vai chegar? 

Você tem duas opções: traçar a sua rota usando o Google Maps no seu celular e a margem de acerto dos horários é altíssima e em tempo real. Ou acessar o site da companhia de transportes de Orlando, a Lynx.

É possível traçar rotas para os Outlets, para os parques da Disney, para as atrações na International Drive, para os hotéis e resorts espalhadas pela cidade, além de viagens a Kissimmee, Deltona e outros lugares.

Quanto custa?

Cada viagem custa $2 apenas. E você tem um tempo de uso do cartão que é emitido na hora de colocar o dinheiro na máquina que fica na entrada do ônibus. Normalmente, você terá 90 minutos pra embarcar numa “conexão” com outro ônibus e não paga a segunda viagem. Porém, existem cartões de $50 que te garante acesso ilimitado durante o dia todo de funcionamento do transporte e para o período de 30 dias.

Outras vantagens

Se você tem uma bicicleta, vale lembrar que na frente de TODOS os ônibus existe uma forma de prender a sua bike ali. Muito simples. Ela vai na frente do ônibus em total segurança. Quando chegar ao seu destino, o motorista ainda abaixa a suspensão do ônibus para você retirar a sua magrela com mais facilidade. Paga-se mais por isso? Claro que não.

Limitações

As maiores limitações do sistema de transporte da Lynx são: quantidade de veículos circulando. As linhas, diferente do que a gente vê no Brasil, são dividas naquelas que passam de 30 em 30 minutos e as mais demoradas que passam apenas de uma em uma hora. Conversando com um motorista, ele me disse que jamais um ônibus vai chegar adiantado num determinado ponto. Se isso acontecer, ele é obrigado esperar dar o horário para sair dali. No “cockpit” do motorista ele tem um dispositivo que marca se ele está atrasado ou se ele está no horário (ou de repente um pouco adiantado) sempre em relação à próxima parada. E ainda, o motorista tem noção de saber quais outras linhas estão na mesma rota.

Identificação dos ônibus

Todos os ônibus tem “nome” e “sobrenome”. Explico: ele é identifica por um número e tem o nome da linha. Por exemplo: o Millênia é o número 11. Muito parecido com o que vemos no Brasil, não é? Só que os números são bem distintos já pra não haver confusão. São 61 rotas disponíveis na cidade. Segundo o site da própria empresa são 235 ônibus circulando e 70 vans.

Etiqueta

  • Não é permitido fumar, comer ou beber dentro do ônibus. Portanto, nada de fazer aquela farofada lá dentro. Ok?
  • Vai falar com alguém no celular, lembre-se: “ninguém está interessado na sua conversa”. Portanto, fale baixinho de uma forma que não incomode os outros passageiros.
  • Música é permitida apenas usando fones de ouvido.
  • Animais de estimação são permitidos em caixas de transporte ou se forem animais de acompanhamento de deficientes.
  • Não é permitido subir no ônibus sem camisa. Mas até por conta do poder do ar condicionado, nem recomendo!

É isso!! Se programe e boa viagem.

Fechou, gente? Vai virar tema de vídeo.

Ah! O site da Lynx:
http://golynx.com

Site da Lynx: empresa que gerencia o transporte público em Orlando

Site da Lynx: empresa que gerencia o transporte público em Orlando

Continue lendo
Publicidade

CANAL DO PS NO YOUTUBE

TWITTER DO PS

MAIS LIDAS