Conecte-se com a gente!

Exclusivo

“Patricia Poeta saiu do JN porque não sentia mais prazer em estar lá”, diz William Bonner

William Bonner encerra polêmica sobre a saida de Patricia Poeta do Jornal Nacional e diz que foi uma decisão única e exclusivamente dela. “Ninguém é maior que o JN”, decretou.

Publicado

em

William Bonner e Patricia Poeta na bancada do JN (Divulgação)
William Bonner nos bastidores do Domingão com o Troféu Mario Lago (Divulgação)

William Bonner nos bastidores do Domingão com o Troféu Mario Lago (Divulgação)

William Bonner se transformou no personagem do fim de ano do noticiário de entretenimento. Pelo simples fato de ter recebido o Troféu Mario Lago que é uma honraria do “Domingão do Faustão” para celebridades de relevância.

Além de ter sido alvo de um desabafo da filha de Mario Lago, Graça Lago – que não concordou com a premiação – ele também foi apontado como o responsável pela saída de Patrícia Poeta da bancada do “Jornal Nacional”.

Em conversa com a coluna, Bonner fez questão de contar – pela primeira vez – a versão dele para o episódio que, segundo ele, gerou especulações das mais divertidas e fortes que já leu na internet e nos jornais.

“Foi um ano agitado pra gente no Jornal Nacional. A transição da Patricia Poeta para a Renata Vasconcelos se deu da forma mais suave possível. Disso eu não posso me queixar. Houve muita especulação. Teve culpa minha. Teve culpa de diretor. Eu vi de tudo”, revela o editor chefe desse que é considerado o maior telejornal da tv brasileira, o “JN”.

Em tom de brincadeira, ele prossegue: “E a verdade testemunhada por esse cidadão, se é que eu ainda tenho alguma credibilidade, é que a Patricia Poeta decidiu fazer do Jornal Nacional um período profissional da vida dela importante. Ela queria uma Copa do Mundo, ela queria uma eleição, ela teve essa experiência e botou isso na carreira dela”, explica.

William Bonner e Patricia Poeta na bancada do JN (Divulgação)

William Bonner e Patricia Poeta na bancada do JN (Divulgação)

“Mas é fato! Aconteceu na carreira dela algo que eu vi acontecer dentro da minha casa com Fátima. Ela entendeu que a felicidade profissional dela não estaria mais ali. Deixar o Jornal Nacional não é um crime. A pessoa decidir que o Jornal Nacional já lhe entregou uma experiência impagável, qualquer pessoa que tenha passado por lá haverá de confirmar o que eu to dizendo, já tinha sido suficiente”, comparando o momento com o que aconteceu com a esposa, Fátima Bernardes, quando ela deixou o JN para estrear o “Encontro”, no entretenimento da Globo.

“E o que ela queria profissionalmente era desempenhar uma nova função no entretenimento tal e qual fez Fátima Bernardes. Quem teria o direito de barrar essa vontade dela?”, questiona.

Bonner foi muito mais além e citou os filhos no episódio. “A vida inteira eu repeti para os meus filhos, que estão com 17 anos, que eu não enxergo uma carreira bonita se não for pelo prazer de fazer o que está fazendo”, comenta.

“O sujeito que faz a coisa sem prazer algum não tem como desempenhar bem o que está fazendo!! E a Patricia saiu na hora em que ela sentiu que precisava sair. Ela é jovem, talentosa… colega querida de todo mundo. O Jornal Nacional caminha por si. Ninguém é mais importante que o JN. O JN é muito maior do que todos nós, maior do eu”, finaliza.

(Publicado na coluna Spot / Terra)

Exclusivo

Bullying é a causa do ataque em escola de Washington

Atirador disse que sofria com bullying de colegas e queria ensinar uma lição à eles.

Publicado

em

O cenário da tragédia em Washington. (CBS)

Um dia de fúria. É isso que pode definir o ataque do estudante Caleb Sharpe, de 15 anos, a um colégio de Washington. O garoto atirou dentro da Freeman High School e matou um colega de classe e baleou outras três meninas.

O dia foi tenso, nesta quarta-feira (13), em Rockford, que fica ao sul do condado de Spokane, no estado de Washington. Muitos pais correram para a escola em busca de informações. Mas Caleb foi contido e preso. Durante depoimento, o estudante disse que sofria bullying constantemente e que queria apenas ensinar uma lição “para aqueles que praticam bullying contra as pessoas”.

091417-CALEBSHARPECaleb estava com duas armas: um rifle AR-15 e uma pistola .233. As armas eram de seu pai que admitiu que o filho tinha acesso ao local onde elas ficam guardadas. Ele chegou na escola e foi direto para o segundo andar. Lá, encontrou com Sam Strahan, de 15 anos. Quando ele sacou o rifle e tentou usá-lo, percebeu que estava travado. Ele ainda lutou um pouco com a arma, desistiu e tirou a pistola do casaco. Sam Strahan disse observando a cena: “Eu sabia que você iria atirar em todo mundo aqui na escola. Você sabe que está se metendo numa grande encrenca!”

Logo depois, Caleb atirou duas vezes: uma bala no estômago e outra no rosto de Strahan que caiu sem vida. Caleb depois se virou para um grupo de alunos e começou a atirar acertando três alunas da Freeman. A arma caiu no chão e um zelador pediu que Caleb se entregasse, deitando no chão. Foi quando um sheriff que chegava ao local conseguiu colocar o estudante sob custódia.

O clima tenso se instaurou no local. A cena toda foi presenciada por uma professora que saiu da sala de aula quando ouviu os tiros. Mais de duzentas pessoas foram interrogadas pelo sheriff local.

Caleb disse em depoimento que no dia seguinte tinha apanhado de Sam Strahan e que vinha sofrendo abusos constantes na escola. O atirador tinha um canal no YouTube, que já foi tirado do ar, onde ele aparecia em “filmes” atirando contra colegas. Tudo com efeitos especiais colocados, apesar da polícia dizer que não pode afirmar se as armas que aparecem em cena são ou não reais.

Na quinta-feira (14), dez escolas fecharam as portas por terem recebido ameaças de ataques terroristas.

A vitima: Sam Strahan

A vitima: Sam Strahan

Continue lendo

Exclusivo

Fotos exclusivas e os bastidores do ensaio do jogador mineiro que ficou nu na web

Conheça Wanderson Monteiro, o fotógrafo baiano de 26 anos que fez o ensaio e prepara outras três exposições com fotos sensuais.

Publicado

em

Paulo Roberto Junior no ensaio de Wanderson Monteiro: nu artístico polêmico

Paulo Roberto Junior no ensaio de Wanderson Monteiro: nu artístico polêmico

Um jogador de futebol brasileiro causou alvoroço nas redes sociais por conta de uma foto que ele postou completamente nu. Uma foto artística feita por um profissional de Juiz de Fora que completa 15 anos de carreira este ano. O atleta Paulo Roberto Junior, jogador do Tupi de Minas Gerais, posou para as lentes do fotógrafo baiano, Wanderson Monteiro.

“Foram duas horas de ensaio, mais de trezentos cliques”, explicou Wanderson num bate-papo exclusivo com o site. Wanderson mora há cinco anos e meio na cidade de Juiz de Fora e trabalha como fotógrafo para uma das mais badaladas danceterias da cidade, a Privilège Club.

O atleta estava precisando fazer novas fotos para um catálogo de uma agência de modelos. “Desde cedo faço ensaios fotográficos, já fiz desfiles, gosto do trabalho”, disse o zagueiro ao GloboEsporte.com. “Eu que propus o nu artístico. Ele não tinha ciência que faria o nu. Sabia que seria um ensaio sensual, de cueca apenas”, explica Wanderson.

Mas a desenvoltura do atleta frente à câmera foi o que mais chamou a atenção do profissional que prepara uma exposição só com fotos de nu artístico. “No momento de fotografar ele não teve nem um pouco de vergonha. Ficou muito a vontade. Eu jamais forço alguém, mostro o que eu gostaria de fazer e as pessoas topam”, conta sobre os bastidores.

Foto Exclusiva do ensaio: ainda existem mais de 30 fotos inéditas!

Foto Exclusiva do ensaio: ainda existem mais de 30 fotos inéditas!

A expressão corporal é o que Wanderson explora nas fotos que faz de nu artístico. “Eu tenho mais fotos que tem esse apelo da expressão corporal. Eu adoro fazer nu, tenho feito muito isso. Estou passando por um processo de estudo”, explica. Desde o início de julho o fotógrafo tem uma exposição montada na Privilège de Buzios.

“Privilege People é uma exposição que mostra o clima da noite e a feminilidade que a boate tem. É um colírio para os homens. A gente vê mulheres felizes – e muito felizes – em poses sensuais. Sempre com muito apelo da expressão corporal que é o que me atrai”, comenta.

Até o final do ano, Wanderson deve fazer três exposições fotográficas. “Cueca Branca” seria a primeira. “São somente homens usando cueca branca”, explica dizendo que Paulo Roberto não estará nesta exposição. “Até tem fotos dele assim, mas preferia colocá-lo sem”, brinca.

O fotógrafo revela que existem muitas fotos ainda inéditas do ensaio de Paulo Roberto Junior. “Liberei umas fotos que tem um apelo comercial maior e que não chegam a ser demais. Devo ter ainda umas trinta fotos das mais de 300 clicadas”, conta.

A outra exposição será só com fotos Polaroid. “Apesar de mais lúdica, essa exposição também tem um conceito de sensualidade”, conta. Já a terceira, e mais cara, será Luxúria. “Não precisa de muita explicação, não é?”, comenta.

Wanderson disse que a sessão de fotos com o zagueiro do Tupi aconteceu há quatro meses. Ele garante que o jogador gostou muito do resultado e que toparia, com tranquilidade, uma nova sessão de fotos. “Ele é muito profissional. Gostou do resultado. Tenho certeza que ele toparia fazer um novo ensaio, até mais ousado!”, finaliza.

Previous Image
Next Image

info heading

info content


 

Continue lendo

Exclusivo

Bryan Tanaka: o coreógrafo de Beyoncé fala sobre carreira, fama e as divas

Tudo sobre a carreira de Bryan Tanaka, um dos coreógrafos de Beyoncé

Publicado

em

Simpatia, gingado e a companhia das maiores divas de todos os tempos. Inclua nessa lista Beyoncé, Madonna, Jeniffer Lopes. Aqui no Brasil quem teve a honra de trabalhar com ele foi Wanessa no seu bem sucedido DVD gravado ao vivo em São Paulo, “DNA Tour”.

Bryan contou detalhes sobre o trabalho com Beyoncé e ainda, deu uma dica para os artistas como Madonna, que já caíram ou que podem vir a cair no palco: “Basta levantar rapidamente, continuar cantando e terminar a performance como campeã!”.

Veja o vídeo e comente!

Continue lendo
Publicidade

CANAL DO PS NO YOUTUBE

TWITTER DO PS

MAIS LIDAS