Responda rápido: “a quantas separações uma mulher é capaz de sobreviver?”

Renata Tobelem é autora e estreia no Teatro do Leblon um monólogo com muito drama que vai fazer você rolar de rir com lágrimas nos olhos. Entendeu?

, da redação do PS paulosergio Publicada no dia 28/09/2014 às 8:21 Atualizado às 8:24 do dia 28/09

Renata Tobelem é Ana, em "A Quantas Separações Uma Mulher é Capaz de Sobreviver?" (Divulgação)

Renata Tobelem é Ana, em “A Quantas Separações Uma Mulher é Capaz de Sobreviver?” (Divulgação)

Antes de tentar responder a essa pergunta, impossível é dizer “nunca” para as situações que Renata Tobelem mostra no palco em “A Quantas Separações uma Mulher é Capaz de Sobreviver”. Impossível negar que ficou esperando aquela ligação ou que depois que o ex foi embora você não ficou com vontade de mandar aquele recado, dizendo tudo o que não teve coragem de dizer “na lata” dele. Diferente do que o título sugere, o monólogo que foi escrito por Renata e é encenado por ela, não é uma peça para “mulherzinha”.

O monólogo conta a história de Ana, uma mulher de 33 anos, que após o fracasso de seu último relacionamento decide tomar uma drástica decisão e grava um vídeo contando a sua louca trajetória. No palco, Renata conta com recursos muito bacanas que dão um impacto e colocam o público dentro do espetáculo. Ana conta as suas desventuras afetivas, com detalhes sobre cada um dos últimos amores, além do sofrimento pela perda mais recente.

Dirigida por Guida Viana, a peça tem arrancado aplausos de uma plateia bastante heterogênea. Renata explicou que foi certeira a escolha de Guida como diretora. As duas possuem uma história juntas. “Quando ela topou fazer a minha direção, achei que eu conseguiria chegar nesse resultado mesmo. Ela foi a minha melhor professora no ‘Tablado’. Ela me domou. E ela perguntou se poderia mexer no texto. E eu disse: ‘Agora ele é seu!'”, explica.

O espetáculo é co-dirigido por Michel Bercovitch que “A Renata foi super generosa e entregou o texto pra Guida que mexeu um pouco durante os ensaios. A Renata não foi uma autora que ficou na frente da atriz. A autoria é coletiva, no final das contas. A hierarquia da Guida é muito delicada. Foi um processo generoso, meio a toque de caixa, muito harmônico”, resumiu Michel.

Renata Tobelem no Teatro do Leblon

Cenário simples, muito bem resolvido e uma interpretação marcante, fazem do monólogo “A Quantas Separações…”, um programa imperdível. (Divulgação)

A vontade de Renata é que a peça viaje pelo país. Um monólogo de simples montagem que pode contar com a produção local para poder levar um bom texto, uma boa atuação. “Fazer teatro ainda é uma grande aventura. A gente contou com o apoio das pessoas pelo Catarse, mas mesmo assim ainda é complicado, é dificil e nunca será diferente. A gente quer muito viajar, quer partir com essa montagem pelo mundão à fora. Vamos ver. A temporada continua firme e forte aqui no Rio”, desabafa Renata. “A gente estreou no Tablado, que é nossa casa. Agora queremos ganhar o mundo!”, completa o co-diretor.

“O mais legal dessa peça é que você vive situações, você relembra situações, você ri com lágrimas nos olhos. Acho que todo mundo merece ver. Não é uma peça de mulherzinha. É uma peça pra todos os públicos”, finaliza a atriz.

A QUANTAS SEPARAÇÕES UMA MULHER É CAPAZ DE SOBREVIVER?
de Renata Tobelem
direção: Guida Viana
co-direção: Michel Bercovitch
Teatro do Leblon – Sala Tônia Carreiro
Terças e Quartas, às 21h
Ingressos: R$ 60

Leia o post anterior:
Elenco de "Plano Alto" reunido na coletiva de lançamento da série (Photo Rio News / Graça Paes)
Orçamento e tempo curtos foram ingredientes de “Plano Alto” que deram certo

Momento político certo para o lançamento de uma série que é uma crítica a situação da política brasileira. Doze episódios...

Fechar