BAND faz contagem de tweets no #MasterChef e traz mais interatividade

Mesmo gravado, programa tem interatividade ao vivo com o telespectador através do Twitter.

, da redação do PS paulosergio Publicada no dia 24/09/2014 às 16:01 Atualizado às 1:06 do dia 25/09

Master Chef, na BAND, usou a contagem de tweets no canto superior direito da tela. (Reprodução da TV)

Master Chef, na BAND, usou a contagem de tweets no canto superior direito da tela. (Reprodução da TV)

O quarto episódio do Master Chef Brasil foi um dos mais tensos dessa temporada. O drama começou quando os participantes foram surpreendidos numa prova outdoor: cozinhar para cem soldados do exército brasileiro. Depois, a prova da eliminação, que tomou quase dois quartos do programa, foi uma das mais emocionantes por causa dos participantes que ficaram na berlinda: Marli e Martin.

Mas a grande novidade deste episódio foi a participação do telespectador. Apesar do programa ser todo gravado e muito bem editado – levando a ferro e fogo a cartilha de Franc Roddam, criador da franquia – rolou interatividade com o público. A BAND adotou a contagem de tweets no canto superior da tela durante todo o episódio. Isso, querendo ou não, instiga o telespectador a comentar ainda mais sobre o que ele está vendo. A contagem foi apresentada depois de pouco mais de três minutos em que a hashtag já estava no ar e marcava 2133 citações. Com pouco mais de uma hora e meia, na última aparição do contador, já nas imagens dos próximos capítulos, o contador batia nas 23909 citações.

Também colocou no ar o comentário dos internautas que usavam a hashtag #MasterChefBR. E apresentou – cada vez que um participante dava um depoimento – o perfil oficial do participante no Twitter. De repente, na primeira prova, o programa convida o telespectador a apostar em qual equipe que será a vencedora. Bastou uma chamada e barras atualizavam o resultado de acordo com a mesma contagem de tweets. Mais de 60% dos tweets davam a vitória para a equipe vermelha que cozinhou galinha para os soldados. O restante dos votos ficaria com a equipe azul que cozinhou pernil.

Funcionou! E os telespectadores acertaram. A edição muito bem amarrada da atração às vezes entrega e leva o telespectador a torcer mais para este ou para aquele participante. Desde o início, os depoimentos de Martin pendiam para a torcida para ele. Já as cenas exibidas da participante Marli, mostravam uma “dona de casa” aposentada um pouco arrogante demais. E foi assim até o final. “Eu não gosto de ninguém mandando em mim”, disse a participante na prova dos soldados quando recebeu uma delegação vinda da capitã do time, Isabela.

Já na avaliação do prato – um suculento arroz doce que estava doce demais – ela desdenhou da avaliação do Chef Fogaça e foi repreendida. O caminho da roça de Marli estava traçado e ela deixou o programa. O programa comandado por Ana Paula Padrão que está impecável na apresentação do reality – usando de caras e bocas e, principalmente, da palavra bem colocada – tem ficado na casa dos três pontos, um a menos que nos dois primeiros episódios. Mas isso não preocupa a emissora paulista.

Leia o post anterior:
Gabeira com a camera em mãos num dia de campanha de Luciana Genro (Divulgação / TV Globo)
Gabeira acompanha dia a dia de candidatos nanicos à Presidência

Com a câmera na mão, jornalista passa um dia inteiro com três candidatos: Luciana Genro, Levy Fidelix e Eduardo Jorge....

Fechar